Evite ficar muitas horas sem urinar

Na rua, longe de banheiros e com vontade de urinar, o que fazer?  Segurar a urina até não conseguir mais é um comportamento que pode contribuir para o aparecimento de uma infecção urinária, tanto nos homens como nas mulheres. O esvaziamento frequente da bexiga é um mecanismo que serve para eliminar as bactérias da uretra, assim evitando uma possível infecção urinária. Dessa forma quanto mais tempo se fica sem ir ao banheiro, maior o risco.Além de facilitar o surgimento de uma infecção urinaria, o ato de reter a urina por muito tempo pode facilitar a formação de cálculos (pedra) no interior da bexiga.

A dor sentida quando não se vai ao banheiro é resultante da pressão que a urina provoca pela distensão das paredes da bexiga. O perigo está quando sentimos essa pressão, vamos ao banheiro e não liberamos toda a urina acumulada na bexiga. Isso eleva as chances das infecções que surgirem serem ainda piores. Além disso a hiper-distensão do músculo vesical é associada a uma dificuldade na contração do mesmo!

A inibição do desejo miccional pode levar a um desconforto, já que a sensação de repleção passa das células nervosas da parede da bexiga aos gânglios e nervos pélvicos, chegando até o nosso cérebro, comunicando-se ainda com um sistema ligado a emoção. Esse estímulo faz com que o desejo da micção seja ativado. Então, somente ouvir o barulho de uma descarga ou torneira, a manipulação de água, ou saber que há um banheiro por perto, faz com que a vontade de urinar seja por vezes incontrolável.

A quantidade ideal de ingestão diária de líquido é ao redor de 2 litros. Esse volume leva à necessidade de ir ao banheiro entre 6 a 7 vezes ao dia. Quando o indivíduo perde mais água pelo suor ou respiração, em climas tropicais como o nosso, por vezes é necessário um volume maior. Uma boa dica é a de medir o volume urinado em 24 horas. O ideal é que essa quantidade esteja ao redor de 1,5 a 2 litros.

Identifique rapidamente um câncer urológico

A especialidade de um médico oncologista urológico são os cânceres que afetam os rins, bexiga, próstata, pênis e testículo. Ou seja, ele não se limita apenas ao de próstata, o mais conhecido pela população.

Em qualquer tipo de câncer, seja ele urológico ou não, é de extrema importância o seu diagnóstico precoce, isso aumenta drasticamente as chances de cura do paciente e, em alguns casos, não é necessária a quimioterapia ou radioterapia (tratamentos muito agressivos ao corpo humano).

Veja os principais sintomas dos cânceres urológicos:

 

  • Bexiga: em cerca de 85% dos casos há sangue na urina. Fumantes, pessoas que trabalham com químicos, corantes, pixe ou asfalto, tintas, borrachas, indústria petro-química, possuem maiores chances de desenvolver a doença.
  • Pênis: é um tipo de câncer que se desenvolve em pacientes com fimose ou com algum impedimento para higienizar adequadamente o órgão. Esse tumor se caracteriza por UMA FERIDA QUE NÃO CICATRIZA, ou verruga ou tumor no corpo do pênis que não cicatriza após seis semanas! Há uma associação com o vírus do HPV, popularmente conhecido como verruga venérea, crista de galo, ou cavalo de crista. De forma geral, é uma doença que pode ser facilmente evitada com a higienização correta e frequente do pênis.
  • Próstata: é o tumor mais frequente nos homens e a segunda maior causa de morte por câncer no sexo masculino. Isso acontece devido a ausência de sintomas em sua fase inicial, por isso a importância dos exames preventivos. Nas fases mais desenvolvidas é comum ter dificuldades para urinar (jato muito fraco, dificuldade para controlar ou para manter o jato, urinar em gotas, incontinência urinária) e dores na parte baixa das costas ou na pélvis. Em casos mais raros há sangue na urina ou no esperma, dores nos testículos, pênis e na passagem da urina.
  • Rim: sintomas comuns do câncer de rim são dores lombares e sangue na urina. É mais comum em pessoas a partir dos 50 anos e seu tratamento é feito pela cirurgia de laparoscopia. Como ele é facilmente detectado precocemente por exames de imagem ou em exames de rotina, seus índices de cura são altos.
  • Testículo: esse câncer afeta, em sua maior parte, jovens e adultos entre 15 e 34 anos, que possuem criptorquidia (testículo fora da bolsa escrotal). Seu sintoma mais comum é o surgimento de um nódulo indolor, de aproximadamente o tamanho de uma ervilha, no escroto, o qual aumenta progressivamente de volume. Outros fatores como endurecimento da região, massas abdominais, sangue na urina e até sensibilidade nos mamilos ou aumento do volume da mama, podem indicar um câncer de testículo.

 

Os exames de rotina são de extrema importância e podem salvar vidas. Vá ao urologista sempre que seu médico indicar ou anualmente após os 45 de idade.