A importância de visitas ao urologista

Culturalmente, existe a ideia de que meninos, rapazes e homens só precisam visitar um urologista quando são bebês e há alguma complicação na formação do aparelho reprodutor ou quando existe alguma doença ou lesão no pênis e bolsa escrotal.

Essa é uma ideia errônea e, inclusive, existe a peniscopia. Um exame preventivo, equivalente ao papanicolau nas mulheres. O indicado é que os pais levem a criança para o urologista pelo menos uma vez na infância, outra na entrada da puberdade e, se não houver o constrangimento, após a primeira relação sexual. Mas claro, nada impede que o jovem tome inciativa para agendar sua própria consulta.

Essas três fases são importantes porque, na primeira, podem ser sanados problemas de formação sem prejudicar a vida pessoal da criança; já a segunda, é uma fase em que o adolescente está com muitas dúvidas quanto a saúde de seu órgão ou sobre sexualidade (mesmo que seja pouco provável a consumação de um ato sexual); já a terceira fase é um período bem importante, já que além dos riscos de doenças sexualmente transmissíveis, há o risco de desenvolvimento de varicocele – doença que possui chances de causar esterelidade – ou até mesmo o de algum câncer na região.

Já o exame preventivo para detecção de câncer de próstata deve ser feito regularmente, pelo menos uma vez ao ano, em homens acima dos 50 anos ou 45 em casos de histórico de câncer na família ou ser negro. É muito importante fazer o exame preventivo, porque esse é um tipo de doença que se desenvolve lentamente e só é percebida em casos avançados, quando a cura torna-se bem mais complicada.

Testosterona em forma de desodorante chega ao país

Uma nova droga para o tratamento da DAEM (Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino) chegou recentemente ao mercado em forma de solução alcoólica. Até recentemente havia apenas as apresentações injetáveis e em gel. O remédio é aplicado nas axilas, o que diminui riscos de contaminar outras pessoas com o hormônio, como por exemplo, a parceira sexual. A reposição hormonal só é indicada para homens com níveis de testosterona abaixo do normal e com sintomas que comprometam a qualidade de vida, como baixa libido, perda da massa muscular e osteoporose.

Imagem: Shutterstock/Maridav