Pedra no rim: formação, sintomas e tratamento

A avaliação metabólica completa é necessária logo no surgimento da pedra no rim?

 

Cálculo ou litíase renal, também conhecida como pedra no rim, é uma patologia causada pela cristalização de sais minerais presentes na urina. Estes cristais podem ser de cálcio (70% dos casos), cistina, estruvita e ácido úrico (7% dos casos).

A FORMAÇÃO

Para o surgimento da pedra no rim, a quantidade de água na urina deve ser insuficiente para dissolver os sais presentes. E isso pode se dar pelo excesso de sais a serem desfeitos ou pela baixa ingestão de água para fazer a diluição, sendo este último o fator mais comum nos casos da doença.

Além de não atingir a quantidade diária indicada de ingestão de água, o surgimento da pedra no rim pode estar ligado a outras causas, que também envolvem o excesso de sal. Como histórico familiar, reincidência em quem já apresentou alguma vez a doença, adultos acima de 40 anos (apesar de poder surgir em qualquer idade), obesidade, doenças digestivas, cirurgias que alterem o processo de digestão e absorção, e dietas ricas em proteínas ou açúcares.

Também, homens são mais propensos a desenvolver pedra no rim, assim como pessoas que vivem em regiões de calor intenso e altas temperaturas.

OS SINTOMAS

Cálculos que estão dentro do rim não costumam apresentar sintomas. O incômodo surge com a movimentação para saírem do órgão, obstruindo o ureter – canal por onde a urina passa, que liga a pelve do rim à bexiga. Além de crises extremamente doloridas, podemos associar aos sintomas de pedra no rim o aumento na vontade de urinar, mas expelindo pouca ou nenhuma urina. Além de náuseas, vômitos, ardência ao mictar e sangue no líquido.

O TRATAMENTO

Para o tratamento são levados em conta os sintomas, o tamanho da pedra no rim e em que região ela está localizada. Cálculos considerados pequenos, isto é, com aproximadamente 3 mm, podem ser expelidos pela urina sem muitas complicações. Diferente de pedras maiores, que exigem procedimentos mais invasivos como cirurgias, ondas de choque e inserção de um tubo na Uretra para a retirada (Ureteroscopia).

Muito se discute sobre uma avaliação metabólica completa logo no primeiro episódio de pedra no rim. A não adoção da prática, é defendida pela dificuldade de coletar urina neste período, deixando para este início uma investigação básica, com exames físicos e anamnese detalhada sobre todos os sintomas e alterações sentidas. Juntamente com uma investigação laboratorial e de imagens, objetivando identificar a presença ou não de infecções, além de avaliar as funções renais.

Após os períodos de crise, a avaliação metabólica completa é bastante importante para determinar o fator formador dos cálculos renais, para que então possam ser tomadas medidas visando a prevenção do surgimento de novos.

O mais adequado, independente de como tenha sido descoberta a presença de pedra no rim é procurar um urologista. Além disso, o cuidado com a alimentação, principalmente com a ingestão de sal, e o consumo indicado de água, é fundamental tanto para melhora no quadro, quanto para prevenção.

Identifique rapidamente um câncer urológico

A especialidade de um médico oncologista urológico são os cânceres que afetam os rins, bexiga, próstata, pênis e testículo. Ou seja, ele não se limita apenas ao de próstata, o mais conhecido pela população.

Em qualquer tipo de câncer, seja ele urológico ou não, é de extrema importância o seu diagnóstico precoce, isso aumenta drasticamente as chances de cura do paciente e, em alguns casos, não é necessária a quimioterapia ou radioterapia (tratamentos muito agressivos ao corpo humano).

Veja os principais sintomas dos cânceres urológicos:

 

  • Bexiga: em cerca de 85% dos casos há sangue na urina. Fumantes, pessoas que trabalham com químicos, corantes, pixe ou asfalto, tintas, borrachas, indústria petro-química, possuem maiores chances de desenvolver a doença.
  • Pênis: é um tipo de câncer que se desenvolve em pacientes com fimose ou com algum impedimento para higienizar adequadamente o órgão. Esse tumor se caracteriza por UMA FERIDA QUE NÃO CICATRIZA, ou verruga ou tumor no corpo do pênis que não cicatriza após seis semanas! Há uma associação com o vírus do HPV, popularmente conhecido como verruga venérea, crista de galo, ou cavalo de crista. De forma geral, é uma doença que pode ser facilmente evitada com a higienização correta e frequente do pênis.
  • Próstata: é o tumor mais frequente nos homens e a segunda maior causa de morte por câncer no sexo masculino. Isso acontece devido a ausência de sintomas em sua fase inicial, por isso a importância dos exames preventivos. Nas fases mais desenvolvidas é comum ter dificuldades para urinar (jato muito fraco, dificuldade para controlar ou para manter o jato, urinar em gotas, incontinência urinária) e dores na parte baixa das costas ou na pélvis. Em casos mais raros há sangue na urina ou no esperma, dores nos testículos, pênis e na passagem da urina.
  • Rim: sintomas comuns do câncer de rim são dores lombares e sangue na urina. É mais comum em pessoas a partir dos 50 anos e seu tratamento é feito pela cirurgia de laparoscopia. Como ele é facilmente detectado precocemente por exames de imagem ou em exames de rotina, seus índices de cura são altos.
  • Testículo: esse câncer afeta, em sua maior parte, jovens e adultos entre 15 e 34 anos, que possuem criptorquidia (testículo fora da bolsa escrotal). Seu sintoma mais comum é o surgimento de um nódulo indolor, de aproximadamente o tamanho de uma ervilha, no escroto, o qual aumenta progressivamente de volume. Outros fatores como endurecimento da região, massas abdominais, sangue na urina e até sensibilidade nos mamilos ou aumento do volume da mama, podem indicar um câncer de testículo.

 

Os exames de rotina são de extrema importância e podem salvar vidas. Vá ao urologista sempre que seu médico indicar ou anualmente após os 45 de idade.

Incidência aumentada de câncer de rim

Estudo publicado em junho deste ano, no Journal of Urology (King SC e cols), mostra aumento da incidência de câncer de rim nos Estados Unidos nos anos de 2001 a 2010. Os resultados são coerentes com trabalho recente publicado (Globocan, 2012), que revela aumento da doença em todo o mundo. Discute-se que alguns fatores como obesidade, tabagismo e um possível aumento do número de exames de imagem tenham relação direta com esses dados.

O câncer de rim não apresenta sintomas nas fases iniciais. Sugiro avaliações periódicas com exame de urina, o qual pode revelar sangue. Além de combater a obesidade e o tabagismo.