Vigilância ativa para o câncer da próstata

Muitos homens portadores de câncer da próstata, aqueles de baixo potencial agressivo, são hoje manejados de um modo expectante, a chamada vigilância ativa. Alguns hoje oferecem essa conduta para todos os pacientes portadores de câncer da próstata Gleason 6. Estudo publicado no Journal of Urology desse mês de setembro de 2015, Vol 194, (610), por Stephen Overholser, da Universidade do Texas, e colaboradores relata dados do chamado Early Detection Research Network do National Cancer Institute, numa população de 3828 homens. Aproximadamente dois terços dos pacientes acometidos foram manejados com vigilância ativa na época do diagnóstico. Desse grupo, aqueles que optaram por operar, ao invés de aguardar, um terço se mostrou com estádio clínico ou patológico maior que o inicialmente classificado. Esses dados são compatíveis com o que já há hoje publicado e pode orientar a decisão de cada paciente individualmente. É mais uma peça no quebra-cabeça dessa doença comum entre os homens que tem mais de 50 anos de idade

 

Fonte de pesquisa:

Active Surveillance for Prostate Cancer

Men diagnosed with prostate cancer were analyzed in a study from the Early Detection Research Network of the National Cancer Institute ( page 680).5 Two-thirds of men qualified for active surveillance at the time of diagnosis and of those who qualified but chose surgery, a third had pathological upgrading or up staging of the tumors. These findings are in line with prior investigations and add interesting information to the debate about the role of active surveillance for prostate cancer. The Journal of Urology

Volume 194, Issue 3, September 2015, Pages 609–610

Diferença entre a uretra masculina e a feminina

A uretra é um canal membranoso, que faz parte do sistema urinário, que é parte importante do trabalho do médico urologista. O órgão se inicia na bexiga e termina no pênis ou na vulva. É a última parte das vias urinárias e por onde a urina é eliminada. Nas mulheres, a uretra tem apenas a função de levar a urina para fora do corpo. Já nos homens, há ainda a função reprodutiva.

A uretra feminina é mais simples que a masculina: localiza-se logo atrás do púbis e antes da vagina. Na mulher, a uretra é mais curta com certa de 5 cm de comprimento e 8 mm de diâmetro. Enquanto que a uretra masculina é mais complexa e tem cerca de 16 cm e de 8 e 10 mm de diâmetro, desde a bexiga até o final do pênis.

A uretra masculina tem três partes: prostática, membranosa e esponjosa. A primeira inicia-se logo após a saída do colo vesical até a extremidade inferior da próstata, atravessando a glândula prostática. A segunda está envolvida por uma densa camada de músculo esquelético, que constitui o esfíncter externo uretral (o esfíncter voluntário), e vai desde a próstata até a raiz do pênis. A terceira é a mais longa, segue o corpo esponjoso do pênis e termina no meato da glande.

No homem, a uretra é a parte final do sistema reprodutor. Na região média, os espermatozoides passam até chegar à próstata. Já na mulher, a uretra desce em direção reta até a vulva, sem passar pelos órgãos reprodutores.

Patologias relacionadas comuns nas mulheres são: incontinência urinária; as infecções, chamadas uretrites; as fístulas; os divertículos, que são saculações da parede do órgão, e mais raramente as estenoses.

Nos homens vemos mais comumente as estenoses; uretrites; condilomas virais (HPV); estenose do meato uretral, hipospádias.

Lembre-se: o médico urologista cuida do sistema urinário de homens e mulheres. Consultas periódicas podem prevenir complicações.

Visite o seu urologista!

www.drguimaraes.com.br